Refrigerantes HCFC

Os gases refrigerantes hidroclorofluorocarbonetos (HCFC), são considerados a 2.ª geração de gases refrigerantes fluorados (GF). Foram desenvolvidos como uma alternativa mais ecológica aos CFC, pois possuem um potencial menor de empobrecimento da camada de ozono (ODP) do que os CFC; no entanto, continuam a ser gases de efeito estufa, com um potencial médio / alto de aquecimento global (GWP).

Os HCFC são compostos formados por átomos de hidrogénio, cloro, flúor, e carbono. Por conter hidrogénio, torna-os quimicamente menos estáveis que os seus antecessores CFC e, portanto, têm um ODP menor. O ODP dos HCFC é cerca de 10% do dos CFC.

Um dos produtos mais utilizados pela sua amplitude de aplicações e intervalos de temperatura é o R-22. É um produto altamente valorizado pelos técnicos por ser puro, com bom desempenho termodinâmico (capacidade de refrigeração e COP), além de trabalhar a baixas pressões.

Diferentes soluções de HCFC, geralmente misturas, foram projetadas para a sua utilização em reconversões simples e diretas tipo (drop-in) de equipamentos existentes com CFC, como  por exemplo R401A, R-401B, R-402A, R-402B, R-403B , R-408A, R-409A, R-416A, DI-36 e DI-44.

Sendo também afetados pelo Protocolo de Montreal, os HCFC eram conhecidos como gases de transição para HFC, que não destroem a camada de ozono e, por esse motivo, foram nomeados soluções definitivas quando surgiram no mercado.

Na Europa, o uso e a comercialização de HCFC está regulado pelo Regulamento Europeu 1005-2009, de 16 de setembro de 2009, sobre as substâncias que empobrecem a camada de ozono (ODS). O seu uso como produto virgem para operações de manutenção é proibido desde 2010, podendo-se apenas utilizar o produto reciclado ou regenerado até 31 de dezembro de 2014. Fora da Europa, eles são ainda amplamente utilizados, embora estejam em processo de eliminação progressiva (phase out).

Qual é a melhor alternativa para os HCFC?

Os países desenvolvidos introduziram os refrigerantes HFC na década de 1990 como alternativa aos HCFC, e atualmente estão a ser utilizadas soluções HFC e HFO de baixo GWP.

Os países considerados em vias de desenvolvimento têm a seguinte questão. Utilizar refrigerantes altamente conhecidos e comprovados como os HFC, ou utilizar misturas mais recentes HFC e HFC+HFO de baixo potencial de aquecimento global (GWP)? O GWP, propriedades termodinâmicas (capacidade e COP) para uma boa eficiência energética, a sua disponibilidade e preço, são fatores a serem levados em consideração para responder a essa pergunta.

A Gas Servei irá acompanhá-lo durante essa transição de produtos que afetam a camada de ozono e oferece assessoramento técnico para a escolha de alternativas de menor impacto ambiental e melhor eficiência energética.